domingo, 9 de novembro de 2008

Diana Domingues entre(a)vistada

Quem quiser saber um pouco do trabalho (arte digital/eletrônica) de Diana Domingues, do(s) seu(s) pensamento(s), pode acessar link na barra lateral. Ela fala de instalação, instalação multi-mídia, do "'sublime tecnológico'", de "relação dialética entre o estável e o instável, o fixo e o móvel, o imutável e o mutante em imprevisibilidades, acasos e outras características de sistemas complexos"...
Veja também link de texto de Lúcia Santaella, em que ela trata da arte de Domingues.
Uma festa para a 'melancolia' pela escassez de reflexões nessa área... Escassez porque é um campo teórico em construção.
O banquete está oferecido. Usufruam... Mas certamente há/haverá fome, muita fome: fome de tecnologia: para as escolas, para os departamentos de arte e comunicação, para as casas de cultura... Pois como fazer tecno-arte sem tecno-logia?... ou tecno-logística?...
Ei!... Mas sem fetichizar a tecnologia, antes tornando-a fator de emancipação, como defendia McLuhan... Progresso tecnológico desacompanhado de progresso social serve para quê, mesmo?... Para dividir a humanidade em 'avançada' e 'atrasada'?...

Nenhum comentário: